mplementar um programa de treinamento corporativo

Programa de treinamento corporativo: o guia completo com tudo o que você precisa saber 

Uma empresa atinge alto desempenho quando investe na capacitação dos profissionais, sobretudo num programa de treinamento corporativo.

Ótimos resultados e grandes conquistas, no contexto das empresas, exigem muito mais do que um time de talentos ganhando altos salários.

Considerando que a competição está cada vez mais acirrada, aderir a treinamentos para desenvolver os profissionais e a empresa é uma excelente alternativa.

Individualmente, cada funcionário produzirá mais e melhor, adquirindo as habilidades necessárias para o crescimento da empresa.

Para otimizar os resultados de um treinamento corporativo, você pode contar com parceiros como a OutBox, uma empresa que promove experiências mais do que diferenciadas, inesquecíveis.

Hoje seu negócio investe quanto e de que forma nos colaboradores e no desenvolvimento deles? 

Percebeu que está na hora de investir mais? Então, siga a leitura! Conhecemos o caminho das pedras e queremos apresentá-lo!

Quais as vantagens e desafios de implementar um programa de treinamento corporativo?

Vantagens

Investir num programa de treinamento corporativo é colocar dinheiro de volta na sua empresa. Entre as vantagens, a organização terá:

Desafios

Para atingir tais resultados, entretanto, a empresa deve se cercar de alguns cuidados. Implantar qualquer capacitação e não refletir a respeito, por exemplo, não adianta. Um programa de treinamento corporativo é eficaz quando resulta de planejamento e foco.

É importante, também, que contemple as reais necessidades da empresa. Para tanto, é preciso considerar o perfil dos colaboradores. Assim, é possível transmitir conhecimento de interesse deles e provocar mudanças de impacto.

Usar metodologias eficazes e explicar aos funcionários a importância das atividades também são desafios. Além disso, saber se as ações realmente estão trazendo resultado é fundamental no pós-treinamento.

A expertise de uma empresa especialista, como a OutBox, pode facilitar o planejamento e a execução de um treinamento corporativo.

O que é importante avaliar no programa de treinamento corporativo?

Um programa de treinamento corporativo funciona quando acerta em três pontos: 

  • Tem metodologia inovadora
  • Foca no participante
  • Se apoia em indicadores

A metodologia é tudo. Quanto mais diferenciada a forma de ensino, mais eficiente. Uma atividade fora da empresa, por exemplo, trazendo os colaboradores para o contato com a natureza, é mais atraente do que um salão de eventos cheio.

Outro segredo é pensar no participante. Um treinamento precisa ensinar os colaboradores a trabalhar suas carências comportamentais. Por isso, um dos desafios desse tipo de programa é conhecer os envolvidos nele.

Por fim, é preciso observar indicadores. O treinamento aplicado tem que dizer algo sobre todos na atividade. Ou seja, cada um será avaliado e receberá feedback. Depois, o profissional tem a chance de mostrar resultados e o gestor de observar a mudança.

Conhecendo as metodologias de treinamento corporativo

canoa havaiana treinamentos para colaboradores e líderes
Canoa Havaiana

Os treinamentos corporativos são diversos. Para funcionar melhor, se apropriam de metodologias. A seguir, apresentamos algumas das melhores metodologias utilizadas por nós da OutBox na execução de treinamentos corporativos. Confira!

Estruturas libertadoras

Chega de fazer tudo do mesmo jeito sempre. Henri Lipmanowicz e Keith McCandless selecionaram 33 alternativas para facilitar reuniões e conversas, as estruturas libertadoras.

Uma delas é o 1–2–4-All, método capaz de envolver as pessoas ou colocar um assunto em discussão. É possível tirar algo até  daquelas pessoas mais quietas no grupo.

Tem ainda o wise crowds, que pode mostrar a capacidade do grupo na resolução de problemas e geração de ideias. É simples: uma pessoa é o cliente e os demais são consultores. Regra: o cliente fica de costas, apenas ouvindo.

Uma sequência de consultas individuais pode tornar o aprendizado cumulativo, pois cada participante se beneficia aprendendo ou entendendo algo na posição do cliente, mas também sendo o consultor várias vezes seguidas. 

Essa metodologia leva grupos de pessoas a se ajudarem mutuamente e desenvolve a capacidade das pessoas de pedir ajuda.

Metodologia ativa

Na metodologia ativa, o aluno é o protagonista e o professor fica no suporte. Um modelo interessante para estimular a autonomia do aluno, que precisa construir o próprio conhecimento.

O professor segue responsável por direcionar, mas sempre permitindo que o aluno faça, sozinho, descobertas importantes para sua formação. 

O método funciona a ponto de fazer o aluno  focar no estudo muito mais tempo do que nas aulas. Aprender ou se desenvolver deixa de ser uma obrigação e se torna estimulante.

Sala de aula invertida

A lógica da sala de aula tem uma mudança significativa nessa metodologia: conteúdo estudado em casa e atividades realizadas no ambiente de aprendizado. 

Com isso, quem está se desenvolvendo precisa sair da figura de ouvinte e assumir o protagonismo do próprio aprendizado.

No modelo tradicional, o professor explica a matéria e depois os alunos fazem exercícios, em casa, sozinhos. 

Na sala de aula invertida, primeiramente o aluno internaliza os conceitos essenciais antes da aula. Em grupo, os conhecimentos são discutidos e os alunos tiram dúvidas com o professor.

Segurança psicológica

Exceto no caso dos comediantes, falar algo e ver todo mundo cair na risada é muito frustrante. A segurança psicológica é aquele ambiente onde qualquer pessoa da equipe pode trazer ideias, perguntar tudo, até o que é Chat GPT, e dar opiniões sem temer punição, humilhação ou represália.

É um ambiente onde as pessoas podem ser mais francas. Quando existe segurança psicológica no trabalho, os colaboradores sentem confiança para se expressar, compartilhar ideias e experiências sem medo, constrangimento. Eles se tornam livres de sentimentos, como a rejeição, pelo simples fato de emitir uma opinião.

Comunicação não violenta

Método criado a partir das pesquisas do psicólogo Marshall Rosenberg nos anos 1960. A chave: ser mais consciente na fala e na escuta. O caminho: a observação dos comportamentos, para um diálogo mais empático e respeitoso. 

Na comunicação não violenta, as pessoas ganham mais conscientes das próprias necessidades e das necessidades do interlocutor. Assim, falam sem agredir e ouvem sem se ofender.

O caráter humano deve prevalecer, mesmo no conflito e nas adversidades. Em vez de reações automáticas e superficiais, respostas conscientes e baseadas na percepção de si e do outro.

As técnicas de comunicação não-violenta podem aprimorar, por exemplo, a relação entre líder e equipe. É útil em comunicações internas da empresa, gestão do sucesso do cliente, redes sociais.

Também para áreas de vendas, que envolve negociações, marketing e publicidade, que interagem diretamente com público-alvo e mercado.

PNL

A sigla de Programação Neurolinguística consiste em uma técnica que revela o processo mental de cada um, possibilitando mudanças e ajudando as pessoas a obter resultados positivos. 

Trata-se de um estudo dos processos e organizações mentais de cada indivíduo, para entender seus comportamentos e ações. Conforme a PNL, a mente primeiro recebe informações, filtra tudo e organiza, fazendo a pessoa responder aos estímulos.

Conhecendo a programação de cada um, é possível corrigir padrões prejudiciais e aprimorar o que está bom. Ou seja, a PNL traz autoconhecimento e ajuda as pessoas a reprogramar a mente para melhorar a vida pessoal, profissional e familiar. Em outras palavras, autoconhecimento e novos hábitos.

Coach de equipes

Garantir harmonia no trabalho em equipe, com tudo sempre alinhado aos objetivos da empresa é bastante desafiador. Nem todas as marcas conseguem atingir esse patamar.

Para enfrentar essa situação existe o team coaching, ou coaching de equipes. São sessões com grupos de 3 a 20 pessoas envolvidas num projeto específico. Pode ser, por exemplo, um time desenvolvendo um novo braço da empresa, um novo aplicativo.

Como estruturar um programa de treinamento na organização?

1. Elenque as necessidades e defina objetivos para o treinamento

Você tomou a decisão de implementar um programa de treinamento na sua empresa. Ótimo! Mas o primeiro passo é entender o que ela precisa, quais habilidades, conhecimentos e atitudes estão faltando no dia a dia. Ou seja, antes, temos que conhecer os problemas, depois, avançar para as soluções.

De que forma os colaboradores poderiam, na sua avaliação, cumprir melhor suas funções? Onde estão os gargalos? Depois de encontrar tais respostas e pensando nos objetivos da empresa, é mais fácil executar os próximos passos.

2. Conheça bem os participantes da dinâmica

Outro cuidado importante é conhecer bem o perfil das pessoas que farão o programa de treinamento corporativo. Antes da capacitação propriamente dita, a empresa deve mapear as necessidades e expectativas dos seus profissionais. Depois é que se monta uma ação realmente engajadora e eficiente para eles.

Oferecer somente aulas expositivas para um grupo que absorve conteúdo melhor em outros formatos de ensino não é um bom caminho. Um programa certeiro é aquele que sabe para quem e como fala.

3. Escolha a metodologia adequada

Elencando as necessidades da empresa e conhecendo o público-alvo fica muito mais fácil acertar na estratégia. Um grupo misto, com profissionais jovens e outros mais experientes, vai aproveitar melhor uma experiência vivencial do que um seminário online. 

Certamente uma atividade ao ar livre será mais convidativa e interessante para todos do que um palestrante falando pelo celular, ou mesmo nas dependências da empresa.

4. Execute o programa de treinamento

O treinamento em si também exige ações específicas. Encontrar uma empresa parceira, que ofereça o programa de treinamento corporativo, facilita bastante. 

Eles ajudarão na escolha do melhor local e das melhores dinâmicas. Caso contrário, pensar no ambiente e nas tarefas é mais uma missão importante. 

Além disso, em todo caso, é fundamental repassar aos colaboradores como será o treinamento e que benefícios pode trazer. O colaborador precisa saber que terá ganhos profissionais e pessoais.

5. Monitore a evolução e aprimore os resultados

Por último, cabe ressaltar que é preciso avaliar, e de forma contínua, o resultado da capacitação. Esse é o caminho para entender se funcionaram e para identificar o que precisa ser melhorado ainda e o que já está em processo de mudança. 

É assim que a educação corporativa impacta uma organização e se mostra valiosa para o seu sucesso. Em alguns casos, essa etapa pode ser mais difícil, por isso, estabelecer parcerias estratégicas é uma saída interessante.

Uma empresa que desenvolve programa de treinamento corporativo possui metodologias próprias para mensurar o desempenho dos colaboradores nas atividades e dar feedback. Dessa forma, viabilizam um monitoramento mais palpável dos resultados desejados.

Conheça os programas de treinamento da OutBox

Empresas com programas de treinamento, como a OutBox, têm soluções disruptivas para ajudar o mercado com capacitação para equipes e lideranças. A seguir, apresentamos três opções. Existem dezenas.

Ciclo de desafios outdoor

Esse programa consiste num conjunto de atividades vivenciais dinâmicas. Elas são aplicadas de forma estratégica, exigindo diferentes atitudes dos participantes. Entre elas, integração, comunicação, trabalho em equipe e tomada de decisão. Tudo isso é importante para que eles superem os desafios propostos.

No final de cada atividade, ocorre uma análise dos resultados, ou seja, uma reflexão sobre a experiência. A análise observa o comportamento dos colaboradores, pensando nos objetivos previamente estabelecidos com o cliente. É uma das soluções da OutBox.

Canoa havaiana

Sabe aquele ditado “estamos todos no mesmo barco”? Esse treinamento se baseia nele, porém, com a equipe tripulando canoas havaianas. Será que os colaboradores sabem se dividir na condução do barco?

Para superar o desafio de navegação, os participantes precisam se distribuir em funções bem definidas. Com o barco dominado – ou a deriva – aprendem sobre sinergia, trabalho em equipe e maneiras de atuar em conjunto. Também é uma atividade que possibilita feedbacks imediatos. É outra atividade oferecida pela OutBox.

Cozinha corporativa 

E que tal acrescentar sabor ao programa de treinamento corporativo? Essa vivência permite que o colaborador reflita sobre a importância de selecionar, preparar, servir e compartilhar. 

Um bom resultado e um prato bem feito dependerão da integração da equipe. As tarefas simples, quando relegadas, podem atrapalhar tudo. Os participantes aprendem sobre planejamento, comunicação, alinhamento e sincronia.

Cozinha corporativa é mais uma dinâmica que a OutBox pode oferecer. Somos uma empresa especializada em treinamentos vivenciais e podemos ser parceiros do seu negócio na aplicação de um programa de treinamento. 

Além de uma série de atividades impactantes, que facilitam o aprendizado da equipe e formam líderes, a OutBox tem uma sistemática de feedbacks.

Quer provocar uma revolução positiva na sua equipe? Entre em contato, solicite um orçamento e comece, agora mesmo, a impulsionar os resultados do seu negócio!

Treinamento com empresa especializada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *